Your address will show here +12 34 56 78

Indústria do futuro em debate 100% tecnológico

by Dinheiro Vivo

Chama-se TheNetwork. É um debate sobre a indústria e a tecnologia. Está marcado para setembro e promete inovação, do princípio ao fim. A seguir Vendas de carros crescem 4,7% até março Mais vistas via sacra da mata nacional do buçaco Turismo 20 locais 'secretos' em Portugal que tem de visitar levis Empresas As 30 marcas mais falsificadas do mundo e0 Trabalho 28 formas de ganhar dinheiro extra (a partir de casa) 7 lifestyle 12 hábitos que as pessoas de sucesso têm ao domingo Todos em rede, sem os velhinhos powerpoints, a debater o futuro da indústria portuguesa. Empreendedores, inovadores e eventuais financiadores. Todos juntos durante dois dias (26 e 27 de setembro), em S. João da Madeira, distrito de Aveiro, para falar do que já feito em Portugal e do muito que ainda está por fazer. TheNetwork será mesmo o primeiro evento do género no país. “Como empreender e inovar na Indústria: O caminho do Futuro” é o tema. network_facebookVamos “Fazer O Que Ainda Não Foi Feito”, como diz a música de Pedro Abrunhosa. É com este espírito que Francisco Costa Leite, que organiza a conferência juntamente com Ana Mafalda Flores, da agência de comunicação Blood.com, sublinha a importância de três traços genéticos do evento: #networking, #promixidade e #utilidade. A marca TheNetwork possui, segundo Costa Leite, diversos formatos inovadores e com uma forte componente digital e de interação entre oradores e participantes, através de aplicações móveis, live-stream, redes sociais e plataformas online, possibilitando mesmo a participantes “ausentes” da sala do evento, a interação com todos os convidados da organização, através de vídeo e escrita. O primeiro dia irá debater fundamentalmente o financiamento da indústria e o caso da indústria 5.0, numa altura em que se fala apenas de indústria 4.0. “Escolhemos como um dos temas a indústria 5.0 na perspetiva do futuro, isto é, das tendências. A nossa aposta é forte neste tema, e até já convidámos um orador alemão que irá falar do futuro da indústria”, refere Costa Leite. Outro dos temas, a debater no segundo dia, prende-se com a questão de saber se Portugal já é ou pode vir a ser um novo hub mundial de inovação. “Essa realidade é constatável pela chegada de startups tecnológicas a Portugal e pelo interesse de algumas marcas importantes pelo país. A Web Summit, que até já tem escritório em Lisboa, teve um papel importante nessa matéria”, refere o organizador. O papel do capital de risco e do private equity nas startups é o segundo tema do último dia do evento. A lista de oradores já confirmados garante, segundo Costa Leite, o interesse da conferência. Mira Amaral, administrador da SPI e ex-ministro da Indústria, João Rui Ferreira, presidente da APCOR (associação da cortiça), e João Maia, diretor-geral da APICCAPS (associação do calçado), bem como vários altos quadros de empresas de sucesso, para além de académicos, garantem uma discussão aberta, em rede e sem limites.